Compósitos de Plásticos Verdes

A Tecnologia SP para Compósitos de Plásticos Verdes proporciona estabilidade térmica, dispersão homogênea, melhoria das propriedades mecânicas e coloração natural, madeira a ébano.

A Carga Vegetal SP pode ser oriunda de diversas biomassas e dispensa a utilização de agentes compatibilizantes, proporciona redução de peso e redução de custos operacionais.



42% dos consumidores brasileiros estão mudando seus hábitos de consumo para reduzir seu impacto no meio ambiente e 30% dos entrevistados estão atentos aos ingredientes que compõem os produtos.

Instituto Nielsen. 2019


Sua marca de mãos dadas com o futuro

Por tratar-se de uma biomassa de origem vegetal e sem qualquer resíduo fóssil, podemos afirmar ser um produto com o selo verde, muito valorizada mundialmente pelo mercado consumidor.

Por que você deve aplicar a Carga Vegetal SP
ao seu produto?

SAIBA QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS BENEFÍCIOS


Redução de Peso

Dependendo a matriz polimérica, redução de peso na faixa de 0 a 30% do compósito final em relação a matriz polimérica base.


Redução de Custos

Estudos apontam que a utilização dos produtos da SP geram uma redução de 15 a 20% no preço da matéria prima total.


Propriedades Mecânicas

O aumento da carga pirolisada e micronizada em 10, 25 e 40%, tornou o compósitos de PP, PEBD, PEAD e PVC mais rígidos.


Coloração Natural

Por ser uma biomassa pirolisada e micronizada, pode ser utilizada como carga ou pigmento, prevalecendo a cor preta.

O compósito de plástico verde foi desenvolvido e são aplicáveis para indústrias do ramo plástico que utilizam resinas "PP", "PEBD" e "PEAD" e "PVC".

A tecnologia SP dispensa o uso de agentes compatibilizantes

Em parceria e com o apoio do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais, o Laboratório Nacional de Nanotecnologia e o Embrapii, foi desenvolvido um estudo que analisa e comprova a efetividade do produto nos compósitos PEBD, PP E PVC.

Veja ao lado um resumo do estudo realizado avaliando as propriedades de Resistência e Tração.


Arraste para visualizar
  • PEBD – Módulo Elástico e Resistência a Tração (carga tipo P)

    O aumento progressivo da carga verde tipo P, na proporção 10, 25 e 40% em massa, sem utilização de compatibilizantes, tornou o compósito de PEBD mais rígido e acarretou ligeira redução da resistência a tração.
  • PP – Módulo Elástico e Resistência a Tração (carga tipo P)

    O aumento progressivo da carga verde tipo P, na proporção 10, 25 e 40% em massa, sem utilização de compatibilizantes, tornou o compósito de PP mais rígido e aumentou a resistência a tração.
  • PVC – Módulo Elástico e Resistência a Tração (carga tipo P e T)

    A carga verde do tipo P e T, na proporção 10% em massa, sem utilização de compatibilizantes, tornou o compósito de PVC mais rígido e aumentou a resistência a tração.
  • PP – Resistência ao Impacto IZOD (carga tipo P)

Open chat
Tem alguma dúvida?
Powered by